sábado, 8 de setembro de 2012

senhor do seu lugar


Como se eu não percebesse
Como se tu não soubesse 
que um dia  eu parei ali,
num lugar qualquer e te vi. 
Te vi distante no cinza implacável do lugar.
Te vi em cores absolutas.
E era feito de sinais,
eu era feita de palavras
e que palavras, já não cabem mais  - pensei comigo mesma aconselhando o amigo meu. 
Tanta coisa, tanta nuvem  por aí desbotando no céu.
Então, tu também paraste.
Deve ter pensado em uma coisa ou dias. 
Mostrou as mãos de desconfiança
 - Como queres me dar o que não cabe nas tuas mãos, senhora? 
As tuas mãos, 
senhor de nada no mundo, guardaram-se.
Ali parado, 
não sabia se podia atravessar
retornar ao seu lugar  
 - cadeira que ficou vaga.
Teve medo do meu esperar...
Minhas mãos pequenas mas hoje, de senhora, mostrei. 
Assim que saí do lugar,
guardei-as abertas no bolso da saia
 - Um dia eu vou - parado ele pensou
e logo foi embora.

Um comentário:

Daniel Mello & Seu Mundo Maluco disse...

Tio Dani curtiu este e os outros posts


hehehehehehe


Muito show, cada postagem uma descoberta. Bom trocar umas idéias contigo, seja por aqui ou pelo Face.
Curto muito muito teu blog!

Beijos!!