terça-feira, 1 de maio de 2012

o desenhista


Te apaguei. 
Teus bilhetes. Teu retrato
mas semana passada eu te vi,
no boteco do Seu Zé. 
Tinha olhos mansos e um lápis na mão.
Da surpresa, parei. 
Branca como um papel. 
E tu te desenhastes em mim novamente.
E com traços leves e outros mais fortes 
na tentativa de que eu não vá mais te apagar.

Nenhum comentário: