segunda-feira, 22 de agosto de 2011

resposta em linhas tortas

Sei que te devo respostas para os meus sumiços repentinos,
Estou afogada em trabalho e cigarros, esquinas e jornais velhos
Esperando que o dia de te tomar em meus braços chegue logo.
Testando o silêncio dessa cidade ao cruzar a rua das paredes rosadas. 
Detestando tudo o que escrevo, ignorando tudo o que vejo.
E te desejando até dar fim a todo esse sossego. 

Nenhum comentário: